segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Prefeitura recebe professores universitários para tratar sobre tombamento de afloramento geológico em Itatiaia

A Secretaria de Planejamento e a Assessoria Especial de Cultura receberam na última quinta-feira (11) professores e mestrandos de faculdades federais do Rio de Janeiro para uma reunião sobre tombamento do afloramento de Itatiaia.

A reunião contou com a presença do representante do Museu Nacional e professor Dr da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Renato Ramos, da professora Dra Soraya Carelli da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), da professora MS Elisabete Rocha da Universidade UniBH e do geólogo e mestrando da UFRJ, Ricardo Leite.

Durante o encontro foi apresentado o panorama da formação geológica da cidade, indicado os pontos de interesse para receber os painéis interpretativos do projeto ‘Caminhos Geológicos’, apresentado os trabalhos científicos que tem o afloramento como ponto de estudo e pedido o tombamento do local que se caracteriza um campo escola de estudo de rocha sedimentar.

- Nosso objetivo é preservar as riquezas geológicas que tem sumido com a urbanização e esse afloramento é um campo escola importante para os estudos de rocha sedimentar. Há um interesse científico didático nessa ação, pois várias turmas de universidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais vem até esse ponto que hoje é o melhor local para estudo. Além de preservar, queremos sinalizar essa bacia que é a única que tem, por exemplo, carvão mineral e fósseis de pólen de mais de 30 milhões de ano - explicou Renato Ramos do Museu Nacional.

Desde 2017, os professores estudam pontos na cidade para receber o Projeto ‘Caminhos Geológicos’ do Departamento de Recursos Minerais (DRM) do Rio de Janeiro. O projeto consiste na colocação de painéis interpretativos sobre a evolução geológica do estado para que o cidadão tenha acesso à informação e perceba a complexidade e o tempo que a natureza leva para construir a paisagem. Itatiaia será a primeira cidade do sul do Estado a aderir e implantar estas placas.

- Vamos providenciar, juntamente com a Secretaria de Planejamento, os trâmites legais para o tombamento do local, pois é importante que a população conheça como se deu a formação da cidade onde hoje vivemos. Com este afloramento o município passa a abrigar uma área de interesse educacional e estaremos no roteiro de estudos de grandes universidades. É muito interessante saber que em um barranco que vemos sempre no nosso dia-a-dia há registro do solo e de plantas formado há 30 milhões de anos, coisa que só com informação acadêmica nos damos conta – relatou o Assessor Especial de Cultura, Rafael Fioratto.


Fonte: Prefeitura Municipal de Itatiaia


Nenhum comentário:

Postar um comentário